Ao subscrever este formulário concordo com Termos de Utilização e eu li e concordo Termos e condições de Privacidade


Marque Consulta

Consulta de Acupuntura, Medicina Tradicional Chinesa, Fitoterapia e Emagrecimento

Horário:
De segunda a Sexta das 09h00 às 19h00

Telefone já
258828060

Dr Domingos Silva
965524915

Envie  email:
geral@domingossilva.com

Diet, Sugar Free, Zero calorias…e Não consigo emagrecer!

11 meses ago · · 0 comments

Diet, Sugar Free, Zero calorias…e Não consigo emagrecer!

Caminhando para as estações de maior calor, existe também uma tendência para acompanhar as coleções de primavera/ verão, fator este que muitas vezes faz despertar para um ato de consciência sobre os “pecados” de um inverno rico em calorias, pois muitas vezes a silhueta não é a mais desejada.

 O primeiro passo em muitos dos nossos pacientes, antes mesmo de recorrem a algum método de emagrecimento especializado, é optar por produtos alimentares dietsugar free ou zero calorias. Porém, após breves semanas, deparam-se com um insatisfatória perda de peso, ou menos inexistente, dando lugar a um sentimento de frustração e confusão.  

“Se ingeri menos calorias, porque não emagreci?!” 

Pois bem, infelizmente existe uma dicotomia cada vez mais generalizada sobre que produtos escolher para ter uma alimentação saudável ou aqueles que mais se adaptam a um regime alimentar hipocalórico, isto é, para perda de peso.

 Não é nenhuma mentira que os produtos diet ou sugar freetenham efetivamente zero ou um baixo teor em calorias, facto este que deixa os consumidores admirados pois o sabor está cada vez mais aproximado dos restantes ditos normais.  

 É importante explicar, que isso só é possível devido ao uso de adoçantes tais como a sacarina (E954), ciclamato de sódio (E952) e o aspartame (E951). 

 Falemos, por exemplo, mais a pormenor sobre este último. O aspartame é tão nocivo que já foram catalogados 92 efeitos colaterais sobre o organismo, porém ainda não se sabe de todos os efeitos que o seu consumo pode provocar a longo prazo. Ele já foi bastante utilizado e consumido por não deixar gosto residual amargo, tal como outros adoçantes. Com valor calórico de 4Kcal/g e alto poder adoçante (cerca de 220 vezes mais que a sacarose), bastam algumas gotas para adoçar ao nível dos produtos ditos normais.

 Os principais efeitos colaterais nocivos no consumo de produtos alimentares que contenham aspartame são:

 ·         Ataques de pânico, alterações de humor, episódios de mania e alucinações visuais

·         Náusea

·         Reações alérgicas alimentares

·         Dores de cabeça, enxaquecas

·         Diabetes (o aspartame em indivíduos diabéticos pode favorecer as complicações como neuropatia, retinopatia, catarata e pode provocar mal controle glicémico em quem faz tratamento)

·         Espasmos musculares

·         Irritabilidade

·         Ganho de peso

·         Perda de audição

·         Depressão

·         Alterações endócrinas como aumento de cortisol e prolactina

·         Degeneração cerebral – envelhecimento precoce (perda de memória)

·         Taquicardia

·         Doenças autoimunes

·         Dores articulares

·         Convulsão e epilepsia

Doenças degenerativas podem ser agravadas com o uso prolongado de aspartame, como Alzheimer, Parkinson e deficiência cognitiva. Outros problemas que podem ficar mais graves são o lúpus, diabetes, fibromialgia, tumores cerebrais e esclerose múltipla.

 Países como os EUA, Canadá, França, Japão, Brasil e Reino Unido já baniram estas substâncias!  

Porque continuamos nós, portugueses, ainda a ser um consumidor destes produtos que, para além de não ajudarem a emagrecer, são inclusive catalisadores para o desenvolvimento de carcinomas?! 

 Uma alternativa natural que começa a ter cada vez mais relevo, é a stevia. Esta planta tem vindo a ser usada como adoçante e por motivos medicinais desde há séculos pelos índios da América do Sul, não contém calorias e conta com poder adoçante 300 vezes maior que o açúcar refinado. Beneficia a regulação da pressão arterial, os níveis de açúcar no sangue e previne o crescimento bacteriano nos dentes, além de ser recomendada para diabéticos e pode perfeitamente ser usada durante um plano de emagrecimento.

 Nas nossas clínicas, todos os nossos pacientes, independentemente da sua idade ou sexo, emagrecem e mantêm o seu peso comendo comida saudável, porém cabe à acupuntura e à fitoterapia facilitar esse processo. De uma forma natural, sem qualquer risco para a sua saúde, com uma média de 1 Kg por semana, se consegue atingir o resultado desejado. Mesmo em situações de celulite e gordura localizada uma inovadora técnica de acupuntura com electroestimulação auxilia todo o processo adelgaçando nas áreas desejadas.

 Ter uma alimentação saudável faz parte das exigências do futuro e é, sem dúvida, a maior proteção contra a doença.

Hugo Canão


Especialista em Medicina Chinesa

Desejo emagrecer mas não consigo!

11 meses ago · · 0 comments

Desejo emagrecer mas não consigo!

Esta é uma das frases que completam a realidade de grande parte das consultas que são efetuadas nas nossas clínicas, sejam homens ou mulheres, crianças, jovens ou adultos.

Rodeados por uma oferta massiva de promessas miraculosas de emagrecimento, uma pessoa com excesso de peso ou com gordura localizada, inicialmente, começa por se sentir desconfortável com o seu espelho ou quando constata nas mudanças de roupa de estação e se apercebe de que, afinal, tem uns “quilinhos” a mais.

Recorre a receitas caseiras de emagrecimento, blogs dietéticos pela internet, concelhos sábios de alguém, “pílulas” milagrosas alternadas com ginásio ocasional… e, passando um determinado tempo e fazendo fé no esforço, a desilusão apodera-se pelo resultado bastante aquém do prometido. O desejo inicia um caminho de frustração e toda a motivação vai-se perdendo, assim como a saúde física e mental.

É neste resumo aproximado da realidade, que muitas pessoas se questionaram sobre a necessidade de ajuda para conseguir emagrecer, não só pela componente estética, mas também pelo facto de o excesso de peso estar frequentemente associado a enfartes, AVC, ansiedade, tensão alta, mobilidade reduzida, depressão, diabetes, colesterol, dores articulares, entre muitas outras.

Face a este palco da realidade dos nossos dias, tenho a apresentar-lhe o melhor serviço alternativo que permite emagrecer de forma natural.

De salientar que, escolhendo por este tipo de tratamento, está a optar por um investimento seguro, sem contraindicações, a um ritmo mínimo de 1Kg por semana. Em que consiste o tratamento

-Regime Alimentar
Estabelece-se um plano alimentar personalizado baseado na dietética oriental e adaptado à alimentação ocidental. Não precisa de contar calorias nem elaborar refeições complexas.

-Fitoterapia
Ervas chinesas que são complemento ao tratamento de emagrecimento, moderando o apetite, regulando o sistema digestivo e o trânsito intestinal.

-Acupuntura adelgaçante
Eliminação de gordura com a inserção de agulhas nas regiões do corpo mais afetadas, através da associação a uma corrente elétrica microfarádica que, para além de tonificar e de diminuir o aspeto da pele, tipo casca de laranja, delineia a silhueta do corpo

Perdeu peso! E, agora, como mantê-lo?!

-Manutenção
É fácil! Como já possui uma reeducação alimentar, vai poder comer de tudo um pouco, mas não ultrapassando determinadas regras essenciais, irá viver de forma saudável.

A acupuntura garante o equilíbrio estético, de forma natural, e promove o conceito holístico de saúde com a consequente melhoria do desempenho físico e mental.

Opte por emagrecer, comendo e dando saúde ao corpo e à mente.

Hugo Canão

Especialista em Acupuntura, Fitoterapia e Medicina Chinesa

11 meses ago · · 0 comments

Não consigo parar de comer doces!

Saímos de uma época muito recheada a nível alimentar nomeadamente de doces de todas as espécies e feitios. E, para quem já sente uma predisposição de adição para tudo que é doce, este é, sem dúvida, um momento que faz despoletar vícios diários no consumo deste elixir de prazer até que todas as ofertas de Natal se esgotem. Numa perspetiva de saúde alimentar, se a balança tende a contrariar com todas as promessas de “ano novo, vida nova”, e se esse é o seu drama, considere-se adito a doces.

Como seres humanos que somos, toda a nossa vida é feita em busca de prazer, por normal opção não temos como escolha primária aquilo que nos prejudica diretamente. Porém, neste exemplo em concreto, a adição por tudo que é doce encaixa num fenómeno de autocompensação, seja ele no final do dia de trabalho, após a refeição, após o café, durante a visualização de uma novela ou filme, ou até mesmo como companhia em momentos de maior solidão.

Todas as crónicas por nós escritas, sempre citaram casos clínicos, porém desta vez, a sua origem será diferente. Vou descrever um caso que visionei e que me sensibilizou. Durante uma ida quotidiana a uma grande superfície comercial, no parque de estacionamento enquanto depositava todas as compras, reparei que no carro ao lado estava uma senhora a devorar com grande impulsividade uma enorme quantidade de chocolate. Logo após depositar o respetivo carrinho de compras, a mesma, ainda continuava deliciosamente a comer doces, a um ritmo voraz, com total devoção a uma adição a tudo que seria doce.

Este momento sensibilizou-me, pois este é claramente uma dependência extremamente forte que prejudica gravemente a saúde.

Em contexto clínico, e em critérios de medicina chinesa, este comportamento alimentar revela uma severa desordem que vai interferir principalmente no equilíbrio energético do baço.

Quando o baço está em desequilíbrio, podemos apresentar má digestão, dilatação abdominal, distúrbios no trânsito intestinal, e também se reflete a nível psicossomático, pois vai expor um perfil de ansiedade, ou por vezes já de instaurada depressão, pensamentos cíclicos ou excessividade emocional, tudo sintomas da desarmonia mental.

Será agora fácil de entender, que a acupuntura é uma forte solução terapêutica, sem efeitos secundários e contraindicações, que pode auxiliar a combater este tipo de adição que por vezes vem acrescida a um considerável excesso de peso e, por ventura, às suas habituais consequências como cáries dentárias, doenças cardiovasculares, retenção de líquidos, impotência sexual, fadiga, pele e boca seca, diabetes, cancro…

Opte por resolver a saúde neste novo ano, decida ser ajudado, seja saudável e evite problemas graves de saúde.

Não é demais lembrar que a acupuntura é indolor, não tem contraindicações e só pode ser exclusivamente praticada por profissionais com cédula profissional emitida pela ACSS (Administração Central do Sistema de Saúde).

Especialista em Medicina Chinesa

Dr. Hugo Canão

1 ano ago · · 0 comments

A eficácia da Acupuntura na recuperação de um AVC

Há poucos dias, mais precisamente a 29 de outubro, assinalou-se o dia Mundial do Acidente Vascular Cerebral (AVC). Este dia marca um momento de consciencialização de quantas pessoas estão a correr o risco de um futuro AVC ou que sofrem com nefastas sequelas, algumas delas para toda uma vida.

A medicina chinesa tem uma fantástica resposta, na maioria dos casos, não só na intervenção pós AVC como também na sua prevenção. 

Como funciona a Acupuntura num caso de AVC?

Só após um diagnóstico detalhado sobre todas as afetações do paciente é que se progride para o tratamento de acupuntura, que consiste na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo. Sendo um ato terapêutico 100% natural e não utilizando qualquer químico, a acupuntura, na recuperação do AVC, promove a proliferação de neurónios novos ao mesmo tempo que reduz os índices deficitários a nível neurológico. 

Nas nossas clínicas é realizado um método técnico inovador em que, com a união da acupuntura à eletroestimulação, conseguimos potencializar, na globalidade, o efeito terapêutico, traduzindo-se assim numa maior rapidez e eficácia de resultados. 

Desta forma, fazemos com que os nossos pacientes recuperem, gradualmente, a sua elasticidade cerebral e intelectual, que terá consequências diretas favoráveis na sua mobilidade, no seu estado emocional e, principalmente, na sua qualidade de vida.

É consciente dizer que nem sempre é fácil recuperar de forma rápida e total das sequelas que podem, muitas vezes, condicionar quase que totalmente a vida do doente, porém é aqui que a acupuntura, na recuperação de um AVC, marca a diferença!

Vejamos um caso clínico real, bastante particular, que está ainda nos dias de hoje em tratamento em uma das nossas clínicas:

Plácido Sampaio, 21 anos, residente em Guimarães, foi-lhe diagnosticado um AVC isquémico, que ocorreu durante a noite enquanto dormia.

Acordou com assimetrias na face, dificuldade em falar e limitação, quase total, de todo o lado direito do corpo, falamos mais concretamente uma hemiparesia total à direita.

A este jovem saudável, aos 19 anos, a vida mudou!

A falta de ação neuromuscular na face, braço, mão e perna, causou-lhe uma frustração tremenda, bem como uma questionação constante de porque tal lhe haveria acontecido. Passados dois anos após a sua sequela, Plácido tomou conhecimento que a acupuntura o poderia ajudar e iniciou, rapidamente, os tratamentos.

Após a 6.ª sessão semanal, o pé, que até ao momento estaria pendente, o que lhe obrigava em andamento a ter uma compensação da anca, estava com uma maior amplitude e resistência nos movimentos. A mão já consegue ter uma destreza antes inimaginável, conseguindo pegar numa caneta ou até mesmo num objeto mais pesado, sem os deixar cair, ou até mesmo dar um simples cumprimento de mão mais forte.

Importante salientar que a fisioterapia é uma forte aliada ao nosso tratamento, pois potencializa todas as novas conquistas que vão sendo disponibilizadas.

É sempre preferível iniciar a acupuntura para recuperar de um AVC quando este é diagnosticado, pois os resultados obtêm-se com maior rapidez e são, favoravelmente, mais fáceis de trabalhar, porém a escolha da apresentação desde caso clínico serve o propósito para exemplificar o forte impacto que a acupuntura tem, mesmo após 2 anos do sucedido, com 2 anos de sessões diárias de fisioterapia.

Não é demais também lembrar que, para prevenir o AVC, devem ser adotados hábitos de vida saudáveis, como evitar o tabaco e a vida sedentária, e ter especial atenção a doenças como a hipertensão, diabetes ou arritmias cardíacas.

A acupuntura é indolor, não tem contraindicações e só pode ser exclusivamente praticada por profissionais credenciados pela ACSS (Administração Central do Sistema de Saúde).

Dr. Hugo Canão Silva
Especialista em Medicina Chinesa

1 ano ago · · 0 comments

“Sofrer com a diabetes é coisa do passado!”

A diabetes é cada vez mais uma doença que tem tido grande incidência nos tempos da época moderna. O aparecimento da diabetes pode resultar de múltiplas causas, sendo a maior parte associada a comportamentos alimentares desadequados (por vezes já desde a infância), vida sedentária em excesso e, em alguns casos, ao stresse ou até mesmo por influência genética.

Através dos últimos cálculos estatísticos, calcula-se que, em Portugal, 13,3% da população sofra de diabetes, isto é, mais de um milhão de portugueses!

Quem sofre com a diabetes normalmente são pessoas com excesso de peso, que não praticam exercício físico, ingerem demasiados alimentos doces ou calóricos, possuem tensão arterial elevada e apresentam índices de colesterol acima do normal. 

O resultado é o já conhecido aumento dos níveis de glicose no sangue que se traduz na incapacidade do organismo de sintetizar o açúcar dos alimentos. Este desequilíbrio energético vai também comprometer, de igual forma, a produção de insulina assegurada pelo nosso órgão pâncreas.

Podemos finalmente concluir que a insulina é necessária para a transformação da glicose em energia, daí a necessidade de algumas pessoas diabéticas terem que administrar insulina injetável, por vezes, várias vezes ao dia, ou mediação quimicamente sintetizada.

Tudo isto se traduz num ritual obrigatório e necessário, mas que compromete (e muito) a qualidade de vida de um diabético.

Vejamos um caso clínico real de uma das nossas clínicas:

Marisa S., 72 anos, diabética desde os 48 anos, administra injetável de insulina em média 3 a 4 vezes ao dia.

Após 15 dias em tratamento, a paciente, após as suas medições diárias de glicose, apenas necessitou da administração de 1 dose injetável de insulina, porém chegou a ter dias em que os valores medidos nem sequer justificaram a sua aplicação.

Felizmente, existem outras formas eficazes que ajudam a combater a diabetes com grande eficácia, nomeadamente a acupuntura e a fitoterapia (medicação de origem natural).

A medicina chinesa tem comprovado cientificamente que, ao longo da nossa evolução, já se pode optar por tratamentos complementares desprovidos de efeitos secundários, que ajudam diversas patologias crónicas como a diabetes. Tal facto foi já descrito pela própria OMS (Organização Mundial de Saúde) que lançou missivas para que, num futuro próximo, seja prescrita medicação de origem natural em primeira instância para a resolução dos mais diversos problemas de saúde.

Podemos concluir que estamos em época de mudança, e cada vez mais é dada a opção viável aos cidadãos de optarem por terapêuticas alternativas, com profissionais devidamente credenciados pela ACSS (Administração Central dos Sistemas de Saúde) para a resolução dos seus problemas de saúde.

Não é demais acrescentar que, no ato terapêutico de excelência, a acupuntura é indolor e, na correta prescrição, a fitoterapia é desprovida de efeitos secundários.

Hugo Canão Silva
Especialista em Medicina Chinesa

Com a saúde não se brinca

1 ano ago · · 0 comments

Com a saúde não se brinca

Como profissional de saúde fico contente por constatar que, depois de milhares de consultas e tratamentos ao longo dos anos, se conseguiu oferecer aos cidadãos portugueses uma solução terapêutica alternativa de saúde com índices de aceitação e satisfação excelentes.

Optar por um tratamento eficaz, seguro e sem contraindicações é, sem dúvida, o tratamento do futuro! E este é o principal motivo pelo qual os utentes nos têm escolhido cada vez mais para tratar dos mais diversos problemas de saúde.

Deveremos ser livres de optar pela forma de como queremos ser tratados desde que isso não ponha em causa a nossa saúde. Porém, também defendo que estes tipos de terapêuticas deveriam integrar o SNS (Serviço Nacional de Saúde), pois com isso seria possível chegar a todos os portugueses essa opção de escolha.

Desde há muito tempo que é do conhecimento público que a implementação de terapêuticas não convencionais (TNC), seguindo o exemplo da acupuntura, caso fosse executada por profissionais devidamente credenciados, provocaria um impacto benéfico nas despesas hospitalares, redução na prescrição médica, redução de intervenções ou até mesmo um pós-operatório com uma recuperação mais rápida…isto é, tudo se traduz em ganhos não só de saúde como de poupança global entre utente e gastos em serviço de saúde. Sublinho que esta não é só apenas uma ideologia que defendo, pois a mesma já foi comprovada por extensos estudos internacionais. Este é o principal motivo que levou a OMS (Organização Mundial de Saúde) a exigir que, num futuro breve, sejam dadas como primeira solução de tratamento, componentes naturais ou terapêuticas com o menor grau de efeitos colaterais. Um breve exemplo internacional passa pelo comunicado da Ordem dos Médicos dos Estados Unidos que recomenda acupuntura como tratamento prioritário para dores de costas. A acupuntura é uma solução válida para qualquer tipo de dor ou inflamação, apresentando efeitos analgésicos, anti-inflamatórios e atuando como relaxante muscular.

Como em todas as áreas laborais, a lei da oferta e da procura por vezes é impetuosa e, nos últimos tempos, tem-se verificado cada vez mais um interesse aniquilante que circunda um pouco todas as terapêuticas não convencionais. Urge a necessidade de mudar e aceitar que efetivamente existem mais opções eficazes para além da medicina convencional.

Temos que dar prioridade à saúde dos portugueses e vamos continuar a primar pela qualidade e segurança terapêutica, como tal, exija sempre ser tratado (a) por profissionais que sejam portadores de cédula profissional das TNC.

Adianto que a lista é pública e está disponível no site da ACSS (Administração Central do Sistema de Saúde) – http://www.acss.min-saude.pt/wp-content/uploads/2016/09/Dados-para-cedulas_TNC_09062017.pdf

Não posso deixar de referir que, no exercício da boa prática clínica, a acupuntura é indolor e desprovida de efeitos secundários.

Dr. Hugo Canão Silva
Especialista em Medicina Chinesa

Acupuntura nas doenças inflamatórias intestinais

1 ano ago · · 0 comments

Acupuntura nas doenças inflamatórias intestinais

Desde há muito tempo que muitos dos meus pacientes recorrem às minhas clínicas em que para além de outras patologias, abordam ter problemas intestinais e dão-se por vencidos por não encontrarem uma solução terapêutica funcional.

Colite ulcerosa, doença de Crohn, doença inflamatória intestinal ou até síndrome de cólon irritável, quando diagnosticadas, são assumidas como perturbações para o resto da vida, porém existem terapêuticas alternativas que poderão solucionar e aumentar a qualidade do bem-estar.

A medicina chinesa, mais concretamente a acupuntura e a fitoterapia (medicação natural) têm uma grande eficácia na resolução da inflamação intestinal. Sintomas como desconforto abdominal, sensação de pressão na barriga, calor intestinal, cólicas, náuseas, vómitos, aftas, perda de peso, distúrbios oculares, artrite, febre, perda de apetite, diarreia crónica com vestígios de sangue e muito líquida, distúrbios dermatológicos, anemia com deficiência de ferro, fadiga, entre outros, fazem parte do dia a dia de muitas pessoas que tentam contornar estas caraterísticas da sua saúde pessoal.

Temos que nos adaptar e mudar para um mundo mais ecológico e sustentável, como tal, devemos, desde já, iniciar uma consciencialização global de que existem outras formas para resolver problemas de saúde. 

Através de uma breve pesquisa encontrei a seguinte citação:

“Em um estudo realizado na Noruega foi comprovado que o uso da medicina complementar e alternativa é comum entre as pessoas que sofrem de doenças inflamatórias do intestino, o que corresponde a 49% de pessoas referente ao ano anterior em que o estudo foi realizado. Na Espanha, 23% dos pacientes, que sofrem de doenças inflamatórias intestinais, utilizam métodos alternativos.”

Para os amantes da evidência científica poderei ainda citar que no World Journal of Gastroenterology, um jornal de elevado relevo na comunidade médico-científica, a eficácia exemplar do tratamento na doença de Crohn de acupuntura foi de 83,72%, sendo expressiva a redução da inflamação intestinal que se refletiu na redução significativa dos valores de CRP (proteína c-reativa) e ESR (taxa de sedimentação de eritrócitos).

Vejamos agora um caso clínico real de uma das nossas clínicas:

F. Silva, 55 anos, diagnosticado com doença de Crohn há cerca de 13 anos. Após o 5º tratamento, começou a apresentar diminuição da intensidade das diversas sintomatologias. Quando atingiu o 9º tratamento, o mesmo referiu que a sua vida tinha regressado a uma normalidade que já nem se recordava. A sua qualidade de vida pessoal e o bem-estar social deixou de ser um problema tão severo.

“Quase que me esqueço que sofro desta doença!” 

Foi esta a citação que me levou a partilhar, mais uma vez, um pouco do conhecimento sobre medicina chinesa e o quanto pode contribuir de forma natural na resolução de doenças crónicas.

A acupuntura é altamente eficaz quando praticada por profissionais devidamente credenciados e com cédula profissional emitida pela ACSS. Seja livre de optar por tratar dos seus problemas de saúde utilizando terapêuticas desprovidas de efeitos secundários.

Não é demais acrescentar que, no ato terapêutico de excelência, a acupuntura é indolor e, na correta prescrição, a fitoterapia é desprovida de efeitos secundários.

Dr. Hugo Canão
Especialista em Acupuntura e Medicina Chinesa

WhatsApp chat